Áreas

Ginástica encerra semestre de atividades de saúde laboral na Prodepa

Alongar o corpo, exercitar movimentos e a respiração podem melhorar o dia no ambiente de trabalho. É assim na Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Pará (Prodepa) que desde 2011 acredita nas boas práticas de saúde em programa realizado em parceria com a Universidade do Estado do Pará (UEPA).

Internet de qualidade chega a cinco municípios da região Araguaia

Com R$ 5,2 bilhões de PIB, o que corresponde a 5,7% do Produto Interno Bruto paraense, a região do Araguaia é a maior produtora de bovino (38%) e de abacaxi (87%). Tem a segunda maior produção de soja (28%), além de ser a maior exportadora de carne bovina e maior produtora de leite, respondendo por 21% do PIB agropecuário do Pará. Nesta perspectiva, a Rede de Comunicação de Dados Corporativa do Estado precisava chegar a região, não apenas para acompanhar, mas também para promover o desenvolvimento dos seus 15 municípios.

Sead e Prodepa facilitam acesso aos processos seletivos do Estado

A partir desta sexta-feira, 19, quem estiver interessado em participar de Processo Seletivo Simplificado (PSS) realizado por órgãos do Governo do Pará pode realizar seu cadastro no Sistema Integrado de Processos Seletivos Simplificados (Sipros) no endereço www.sipros.pa.gov.br. A ferramenta foi apresentada hoje, no auditório da Secretaria de Estado da Administração (Sead), para servidores das áreas de Recursos Humanos e Informática de 58 órgãos e entidades do Poder Executivo e irá concentrar todas as informações referentes aos PSSs.

Estado apoia implementação do Processo Judicial Eletrônico

A implementação do Processo Judicial Eletrônico (PJE) no Pará foi discutida em uma reunião realizada nesta segunda-feira (17), na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT8), em Belém, com a participação do procurador-geral do Estado, Ophir Cavalcante Júnior.

Prodepa expande rede no Marajó e implanta Cidade Digital de Breves

Com dezesseis municípios e uma população de 525.347 habitantes, o arquipélago do Marajó tem a maior taxa de analfabetismo (21%) na faixa acima de 15 anos e o maior índice de pobreza do Pará (57%). Apesar de se destacar na produção de palmito e de açaí, respondendo por 55% e 30% respectivamente da extração no Pará; os índices econômicos muito baixos e a população geograficamente dispersa e sem recursos são fatores que justificam o desinteresse da iniciativa privada em investir na região.