Áreas

06/02/2017 - 10:45
O objetivo do curso é capacitar os servidores para fazer a gestão de programas específicos para o setor de ciência, tecnologia e inovação

Ocorreu nesta segunda-feira (6), na Escola de Governança Pública do Pará (EGPA), a aula inaugural da pós-graduação lato sensu em Gestão de Ciência e Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica, idealizada pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (Sectet), em parceria com a EGPA. O objetivo é aperfeiçoar as habilidades dos servidores públicos do Estado para que estejam aptos a elaborar projetos, fazer a gestão de programas específicos para o setor de ciência, tecnologia e inovação e de educação profissional e tecnológica.

Ao todo, 40 vagas foram abertas na primeira oferta do curso, com inscritos do quadro de servidores da Sectet e outros órgãos do governo que atuam em áreas afins, como a Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação (Prodepa), as secretarias de Educação, Turismo e Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, entre outras.

“Queremos formar gestores públicos com conteúdo, pois é isso que o atual cenário do país exige na hora de analisar e formular projetos inovadores capazes de atrair investimentos para o setor de ciência, tecnologia e inovação”, disse o titular da Sectet, Alex Fiúza de Mello, na abertura da aula inaugural, que também teve a presença do diretor geral da EGPA, Ruy Santos Filho, do presidente da Prodepa, Theo Pires, e da secretaria adjunta da Sectet, Maria Amélia Enriquez.

Palestra – A aula inaugural teve a presença do professor da Universidade de Brasília (UnB) Elimar Nascimento, que ministrou a palestra "Ciência, Tecnologia & Inovação: desafios para um Brasil diferente”. “Estar ligado nas tendências do mundo é o primeiro passo para quem quer trabalhar com ciência, tecnologia e educação profissional. Além disso, o gestor público tem que estar aberto a mudanças e ao trabalho em equipe, hábitos essenciais para o desenvolvimento de políticas públicas coerentes com mudanças tecnológicas atuais”, disse.

As disciplinas serão ofertadas em três módulos, que juntos somarão 360 horas de aula. Os módulos I e II serão comuns a todos os servidores; o terceiro é o momento de eleger a área pretendida para o instrumental. “O curso é totalmente direcionado ao trabalho que desenvolvemos na gestão do fomento à pesquisa, e dialoga perfeitamente com o meu anseio de melhor atender as necessidades do nosso publico, que são os pesquisadores paraenses”, afirmou a servidora da Fapespa Fernanda dos Santos. As próximas aulas serão na Sectet, com previsão de término em julho de 2018.