Áreas

07/02/2017 - 16:30

Ampliação do acesso rápido e confiável à internet e às políticas públicas disponibilizadas pelas esferas do Governo: são reflexos do Navegapará, ação hoje presente em 75 cidades, que contam com pelo menos um Ponto de Acesso Livre ao cidadão, promovendo inclusão social por meio da Inclusão Digital. São praças, orlas, aeroportos e pontos turísticos onde a população pode se reunir para utilizar a internet de forma temporária, a partir dos seus dispositivos móveis por meio de conexão wi-fi.

Os hotzones, como são chamados os pontos de acesso disponibilizados pela Prodepa, fazem parte do projeto Cidades Digitais, promovendo conectividade ao cidadão, onde o Estado chega com sua infraestrutura de modernização. A partir de fibra óptica ou rádios transmissores instalados, qualquer cidadão, dentro da zona de cobertura do rádio wi-fi, com seu dispositivo móvel como tablet, celular, smartphone, netbook ou notebook, pode se conectar à rede sem fio e usufruir de uma conexão em banda larga para acesso a navegação em sites e serviços on-line.

Os Pontos de Acesso Livre são alternativas criadas para que as comunidades dos municípios conectados possam acessar a internet em pontos importantes da cidade sempre que precisarem. O gerente de Redes e Telecomunicações da Prodepa, Rodrigo Ferreira, explica que “os hotzones não foram feitos para substituir os pacotes de internet próprios, e sim para que as pessoas em trânsito utilizem a internet gratuitamente de forma temporária para acesso aos serviços e informações locais. É um uso rotativo e coletivo”.

O acesso wi-fi apresenta algumas características que devem ser observadas, tais como a área de cobertura do serviço, geralmente limitada entre 50 e 300 metros a partir do equipamento, o que pode interferir na qualidade e até no funcionamento do serviço; e o  limite de banda para tráfego de dados. Rodrigo explica que “em todos os hotzones há limites de banda total de 5mb e para cada usuário até 1mb. Ou seja, se houver cinco usuários conectados em um mesmo AP (Access Point), será disponibilizado 1mb para cada usuário, e assim sucessivamente, serão compartilhados os MB disponíveis por quantos usuários estiverem conectados simultaneamente no AP”.

A empresa está investindo, juntamente com Governo e parceiros, na melhoria da rede. "Os equipamentos hoje, na maioria dos hotzones, suportam até 64 clientes. E em determinados lugares percebemos que isso não é suficiente. Estamos identificando estes hotzones de grande circulação de pessoas e prevendo a mudança para um hardware de maior capacidade e melhores condições de gerenciamento", relata o diretor de Tecnologia e Comunicação da Prodepa, Fernando Nunes.

Segurança no acesso 

Os serviços de utilização de internet oferecidos pela Prodepa já se encontram de acordo com o Marco Civil da Internet, que estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil. A Lei sancionada em abril de 2014 oferece maior segurança de acesso, tanto para a empresa, quanto para os seus usuários. “Todo mundo que fornece serviço gratuito, precisa saber quem está utilizando essa internet. A autenticação garante respaldo, inclusive jurídico”, explica Rodrigo. 

Segundo as determinações do Marco Civil da Internet a proteção dos dados pessoais e a privacidade dos usuários são garantias estabelecidas pela Lei. As informações de cada usuário e de sua usabilidade somente podem ser acessadas via pedidos judiciais. Seguindo as novas determinações, para acessar a internet oferecida pelo Navegapará o usuário precisa fazer um cadastro simples na primeira vez em que vai utilizar o serviço.

"O sistema de identificação e controle utiliza-se de um cadastro único para toda a rede de acesso livre do Estado. O usuário cadastra-se com e-mail, celular e, a partir dessa identificação, não precisará mais se cadastrar em outras ocasiões, apenas autenticar-se", afirma o diretor Nunes.

Via de regra as conexões ficam ativas por 30 minutos, após esse período o usuário será obrigado a reconectar-se. Toda e qualquer conexão inativa por  mais de 10 minutos, exigirá nova autenticação. O procedimento garante que usuários inativos não ocupem as portas de acesso, facilitando a rotatividade de usuários conectados. “O serviço disponibilizado de acesso à Internet é público e deve estar disponível a todos de forma equânime, por isso se fazem necessárias as regras de uso”, explica Rodrigo.

Na velocidade da luz

O objetivo da atual gestão é implantar 1.500km de fibra óptica no Pará até 2018. Nos últimos dois anos foram implantados 235 km de infovias em fibra óptica entre Santa Maria do Pará e Paragominas, Marabá e Eldorado do Carajás e Ponta de Pedras e Vila do Conde. Já estão em fase de execução 550 km de infovias de fibra óptica, compreendendo Santa Maria do Pará, Peixe-Boi, Capanema, Altamira, Vitória do Xingu, Brasil Novo, Medicilândia, Uruará, Placas, Pacajá e Anapu. "A fibra óptica possui muitas vantagens como imunidade a interferências eletromagnéticas e ruídos, capacidade de transmissão bastante grande, redução do número de ativos de rede (em relação a enlaces de rádio ponto-a-ponto), facilidade na manutenção, dentre outras. Os custos, que há alguns anos eram altos, estão acessíveis, facilitando o seu uso por governos, empresas e provedores”, contextualiza o técnico Rodrigo. 

As infovias podem ser construídas por rádio transmissores ou por fibra óptica. Com a fibra óptica, o sinal é transformado em luz, sua velocidade é de 300 milhões de metros por segundo. A diferença é enorme se comparada aos cabos elétricos ou outros tipos de conexão. No entanto, para sua instalação é necessário a existência de infraestrutura como estradas e/ou cabeamentos elétricos. Para viabilizar a expansão desta infraestrutura pelo território paraense entrecortado por rios e florestas, a Prodepa tem apostado em parcerias com outros órgãos, de várias esferas.
    
Ao se comparar com os rádios transmissores que tem muitos detalhes técnicos e variáveis, a fibra garante maior estabilidade pela simplicidade de conexão, além de ser menos suscetível aos fatores climáticos e garantir uma banda de dados infinitamente maior. Por sua vez, o mercado de empresas de fibra óptica vem crescendo a cada ano, tornando o preço mais viável para sua implantação no Estado.

Acesse e conheça os pontos de acesso livre em todo o Estado.

Para denunciar vandalismo ou interrupções no acesso à internet livre entre em contato com nosso atendimento 0800 020 7575 ou faça o download do Governo Digital Mobile 

Gerência de Comunicação

Divisão de Marketing