Áreas

28/08/2017 - 10:00
Consultores estiveram reunidos com os gerentes para conhecer melhor o trabalho da Prodepa

Desde 2012, quando representantes da Agência dos Estados Unidos para o Comércio e o Desenvolvimento (US Trade and Development Agency - “USTDA”) estiveram reunidos com a Secretaria Especial de Infraestrutura e Logística para o Desenvolvimento Sustentável e a Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa), com o objetivo de promover um intercâmbio de informação e tecnologia entre empresas americanas e o governo do Estado, a Prodepa e a USTDA vêm discutindo uma parceria.

A USTDA trabalha em conjunto com o Departamento de Comércio, o Banco de Exportações e Importações dos EUA (Ex-Im Bank), a Empresa de Investimentos Privados no Exterior (Opic), além de outras agências governamentais. O foco principal da entidade é o fornecimento de financiamentos, a fundo perdido, para estudos de viabilidade em projetos de infraestrutura, principalmente nos setores de transportes, energia e TIC (Tecnologia da Informação e Comunicações). A agência já custeou diversas atividades e estudos para a ampliação e modernização de data centers no Brasil.

Em junho de 2016, o governador do Estado, Simão Jatene, assinou Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o Governo do Pará, por meio da Prodepa, e a USTDA. O acordo firma um projeto de modernização e expansão da rede de telecomunicações no Estado. Após a assinatura deste acordo, a USDA abriu uma concorrência pública nos Estados Unidos com as empresas interessadas em realizar um estudo detalhado da rede de comunicações no Pará. A equipe da Astro Systems, vencedora da concorrência, já está em Belém para dar início aos trabalhos. A previsão é em torno de seis a oito meses de estudos, em cooperação com os técnicos da Prodepa.

Nesta primeira visita, os consultores devem conhecer um pouco mais sobre a Prodepa e seus serviços. O mais importante é a identificação dos principais desafios para levar banda larga às comunidades mais afastadas. “O objetivo da consultoria é analisar primeiro o macro, a rede, se é confiável, a importância que ela tem para o Estado, como ela pode auxiliar no desenvolvimento. E principalmente, resolver questões técnicas, a consultoria foi focada em como expandir a rede da melhor forma possível, de forma eficiente. Isso vai implicar em melhorias e adaptações”, explica Tiago Cardoso, gerente de Projetos de Cidadania da Prodepa.

Para o consultor Reinaldo Camargo, a importância do trabalho que a Prodepa realiza para o Estado, e a necessidade de se agregar valor a esse trabalho, são algumas áreas importantes da tecnologia da informação e comunicação, que une as partes de telecomunicação e TI. “Acredito que podemos ajudar a trazer ideias, no sentido de evoluir todo esse trabalho feito aqui. É um trabalho em conjunto, temos que dividir ideias de inovação, a Prodepa tem equipe que já trabalha bem ativamente na questão da inovação, e com a experiência da equipe da Astro em outros países, vamos poder agregar essas ideias, muitas delas foram inovadoras aqui mesmo, e outras ideias de outras localidades que talvez agregue mais no sentido de como viabilizar, como implantar da melhor forma”, afirma o consultor.

Agência Pará